27 de mar de 2011

Traíção

Chego do trabalho
entro no quarto
sinto o cheiro da
perfídia
no meu quarto uma traição foi
urdida

ela pensou que me enganaria
mais quem é traído
sente o cheiro da traição
uns preferem não enxergar
mais sabem que ali ela está
Ela tomava banho
e eu esmiuçava cada detalhe
que deixava evidente 
o pecado da
carne

A janela do quarto aberta
querendo que o cheiro da traição
fosse embora

um travesseiro no chão
numa cama grande como aquela
sem nem estar do lado dela
no pé da cama
um tapete acochoado
com uma marca de um pé
que não era meu nem da minha
mulher

tirei o edredom
e uma mancha no lençol
respirei fundo
me senti imundo

fui ao banheiro
abri a porta do box
ela em baixo do
chuveiro
ensaboada
pensando que uma traição
pudesse ser lavada
Falou:
-Oi amor ,chegou ?
Não tinha coragem de me encarar
calmo a fitei

disse a ela:
-Depois do banho,se enxugue
pegue suas coisas e daqui se mude.

Ela tentou armar sua defesa
mais sua voz presa da sua boca
não saia
sabia que fora descoberta.

com medo lentamente ela se trocava
eu a observava
olhei seu corpo
que tanto prazer me deu
e agora ,sabia que com outro ela o
dividia.


ela tentou se ajoelhar
pra mim perdão implorar

eu disse -Não ...
levei-a ate a porta
dei-lhe uma nota
Falei:
-Vá a procura,de quem com você aqui se deitava
talvez seja mesmo mais amada.

ela partiu,entrei,
uma garrafa de vinho me consolou
me embriaguei,os
lençois pela janela joguei
nessa cama nunca mais me deitarei
no chão me joguei
e como criança
chorei

Nereu 





Um comentário:

  1. -Vá a procura,de quem com você aqui se deitava
    talvez seja mesmo mais amada.
    ...nossa que tristeza!...espero ser só uma poesia e não uma realidade.

    ResponderExcluir