15 de abr de 2011

Separação

Ela então tão jovem na inquietude da juventude
que as vezes nos ilude
deixou-se levar pela emoção
de sua primeira relação

afoita mais cheias de virtude
subiu pro altar depois de ter
conhecido a arte de deitar

apertou o laço matrimonial
de menina
virou mulher
virou dona de lar
amadureceu
a mulher
cresceu

mais sentia-se pela metade
não era plena

começou a se auto conhecer
e percebia que o que sentira
nunca fora amor

mais seu marido sempre
respeitou
pensou: o tempo ira me ensinar
ele ainda irei amar

chegando a gravidez
ela sentiu-se tão feliz
pois encontrava o amor de ser mãe
um ser que dentro dela ela gerou


a cada dia vivido com aquela
criança

a enchia de esperança

mais

o tempo passava acelerado
ela era feliz
como
mãe
amiga
companheira

mais o seu outro lado
a cobrava

com quem ela deitava
o amor não encontrava

não tinha sonhos
sem emoção
essa relação
furor não tinha

tinha respeito
carinho
mais faltava algo
as vezes chorava sozinha
nessa ténue linha
de querer ou não desfazer
essa união

passavam-se os dias
na cama talvez nunca tinha tido
um verdadeiro prazer

respeitava
tinha carinho
dessa relação seu maior tesouro fora
gerado
o filho tão amado

as vezes pensava que tudo que sentia
era pecado
errado

mais queria amar
queria sonhar
dedicação nunca lhe
faltou

mais com ele nunca encontrou o
amor verdadeiro

nunca traiu
foi mulher-mãe
exemplar

doméstica
rainha do lar

mais suas noites eram agoniantes
o laço do matrimonio
virou algemas estava presa
em si mesma

sabia que isso iria ser difícil demais
pessoas que ama iam chorar

mais a mulher tomou a decisão
e pediu a separação
 
Nereu

Nenhum comentário:

Postar um comentário