8 de nov de 2010

Saudades

NESSAS ESCRITAS, TENTO MATAR A SAUDADE
DE UMA PERDA SENTIDA
DE MINHA MÃE QUERIDA

ESTA DIFÍCIL
PAPEL MOLHADO
DOS OLHOS MAREJADOS

RESPIRO PROFUNDO
PRA ESSA REALIDADE
ENCARAR


SÓ O AMOR DE MÃE
PRA MESMO ESTAFADA
ARRUMAR CARINHO
PRA CRIA AMADA

NESSE DEVANEIO
DE SAUDADE POR ELA PROCURO
NA SALA VENDO SUA NOVELA
NA COZINHA AREANDO A PANELA
COM OUVIDO NO RADIO
ESCUTANDO O ROBERTO

QUANTAS VEZES
NA ESCURIDÃO
VELAVA MEU SONO
QUANDO CAIA UM TROVÃO
PEDIA RESPEITO
FAZER SILENCIO

ALMOÇO DE DOMINGO
AQUELE ALVOROÇO
ELA FAZIA TUDO COM GOSTO

POUCO ESTUDADA
NAQUELE TEMPO
MULHER TINHA DUAS
FUNÇÕES VITAIS
PARIR E O LAR
SERVIR

MAIS SUA EDUCAÇÃO ERA ÍMPAR
NAS REUNIÕES DE PAIS
VIA SUA ALEGRIA
QUANDO UM ELOGIO RECEBIA

ME PRESENTEAVA COM UM DOCE
TANTO DELA ESCREVER
AGRADECER

N CONSIGO MAIS
DOR NA ALMA
SEI QUE A VIDA TEM
QUE SEGUIR

MAIS UMA PARTE DE MIM SE FOI
E ACHO QUE FOI A MELHOR

SE ALGO DE BOM TENHO
A ELA DEVO

MAMÃE ONDE ESTIVER
TE AGRADEÇO 

(Nereu Airto)

Nenhum comentário:

Postar um comentário