15 de abr de 2011

Mulher plena

Ela fora educada de forma
esmerada

se vestia com muita elegancia
sem estravagancia
nada de mini saias
batom vermelho do
pecado

nada de decotes a mostra

assim ela se comportou
na infancia
adolescençia
na fase mais complicada
nunca saiu dessa receita

estudava bastante
nunca bolou uma aula
nunca teve uma nota vermelha

uma noite
sentiu algo que estranhara
ja era uma mulher
mais ainda insegura
com sua sexualidade

o maximo que tinha feito
fora um beijo
e uma tentativa de mão no peito
que o unico namoradinho que tentou
uma vez
toca-la

mais que acontecia com ela
agora
via um rapaz q por ela passara
e teve uma tara

não ela não poderia
isso sentir
fora educada
pra fazer uso do sexo
pra uma familia constituir

e
sem amor então isso
não poderia
sequer imaginar sentir

mais ele passou
despido
corpo moreno
sem camisa
seu olhar
a deixou molhada
excitada

tudo que fora
ensinado
parecia ter virado
pecado

ela desejou aquele homem
abriu a janela
viu a lua cheia
deu vontade de ficar nua por inteira

isso o fez
nua em pelo
se olhou no espelho

coisa que nunca antes tinha feito
viu seu corpo
e gostou
era perfeito
era um fruto que desabrochou pro
amor

ali em frente do espelho
ela se tocou
se auto conheceu
estremeceu
gozou

sentiu-se mulher
pela primeira vez

saiu de sua jaula
agora sentia-se loba
femea
tesa

se vestiu de branco
notaram nela um encanto diferente

ela disse agora
- sou dona
mim
não estou aprisionada

assim partiu pra ser amada
pra encontrar prazer

esbravejaram
- seras difamada
sera a dama da madrugada
vulgarizada,usada...

ela deu uma risada
e seguiu...


quem pode segurar uma mulher
quando o desejo ela quer

na iadade media talvez o cinto de
castidade

mais se tenho a liberdade
sou mulher de verdade

o prazer tambem mereço
e quero ele encontrar

na arte de
deitar

Nereu

Nenhum comentário:

Postar um comentário