17 de jan de 2011

Enigma do amor

Peguei seu retrato
que estava jogado
no fundo do armário
e ainda bem que
depois da nossa
despedida
essa foto antiga
que estava perdida
aqui você deixou

nela
volto a ver
seu sorrisos
seu olhar
enigmático
que desde a primeira vez
que vi
paralisei
tremi

você me dizia
com o aquele olhar

aquele velho
enigma

decifra-me ou
te devoro

e acho que realmente não te
decifrei

porque devorado por
dentro
agora
estou

sem seu amor
tantos beijos
afagos
carinhos
confidências
alegrias
compartilhadas
a orgia
nas
madrugadas

o medo
do
futuro

o
orgulho que nunca
tive com você

pra ti me
desnudei
nada
omiti

mais mesmo assim
vi você
partir

no adeus
posei de forte
disse vá com Deus
foi ótimo
ter estado
contigo
ainda sou seu
amigo
isso acontece
ate já tinha
antes pensado
em terminar
com nosso
caso

você
com aquele olhar
me dizia

pensas que esta a me
enganar
sei que quando
por aquela porta sair
você vai
chorar

aflito
via você
arrumando a mala

pensei em te agarrar
e pedir
daqui não
saia

me contive desse ato
simplório

te olhava no meu quarto
pela ultima vez

estava me despedindo
do teu corpo
da tua fala
do teu
perfume

só evitava encarar
seu olhar
que magnetizava
estigava
e agora
me fazia
sofrer

demos o ultimo beijo
um abraço
angustiante
despedida
final

sozinho
fiquei
chorei

lembranças
ficaram
tatuados
em
mim

será que deixas-te
essa foto
de propósito

com seu olhar
que me hipnotizou

e devorou
meu
ser

por amar
demais
você

Nereu

Nenhum comentário:

Postar um comentário